Imagem capa - Depoimento de Fotógrafa - HLR por Rafaela Melo
Depoimento de Fotógrafa

Depoimento de Fotógrafa - HLR


Sinto que sempre tem o dedinho de Deus em cada procura.. 

E fui achada 3 meses antes desse parto..

Não sabíamos nada sobre pandemia, virus.. etc.. e até aí, tudo ótimo.

Minha agenda cheia, correndo para não atrasar material... trabalhando o emocional (pq eu sempre devo estar com a cabeça boa, né?) É muita emoção!.. Estudando para aprimorar meus serviços... cuidando dos meus filhos... escola... casa... 

Muitas vezes, posso dizer que leio as entrelinhas das mensagens de Whatsapp... 

Sinceramente não sei o que senti, só que eu precisava estar ali. Isso vai além de contrato, disponibilidade, dinheiro, formas de pagamento.. sabe aquelas coisas mágicas mesmo?
Eu procuro ser próxima da mãe que me procura, até pq eu já passei por isso 2x (...)

Sei dos medos, das ansiedades e panico que vai dando.. das mudanças e inseguranças que a gravidez traz. 

Mas eu nunca sei os limites.. porque tem pessoas que não permitem intimidades.. e até que a gente se aproxime muito. 

Eu tento sentir.. e se deixar.. eu só vou! rsrs...

Neste caso, um detalhe bastou, pra saber que devia estar ali, independente de qualquer coisa.

Houve uma intercorrência, e recebo a mensagem que essa mãe tinha passado mal e estava internada. Agora não lembro quanto tempo ficou, mas teve que ficar em repouso absoluto quando voltou pra casa. 

Fiquei acompanhando tudo on-line, e só de falar com seu pai, eu vi quanto amor havia naquela pequena grande família que eu acabava de "conhecer". E ele me agradeceu. A preocupação, e o cuidado que eu tive com sua filha, aquela "quase mãe".

A previsão era parto normal, e só quem me conhece sabe como eu paraliso tudo para um parto normal... Eu não durmo direito, ando sempre com comida no carro e a mala e equipamentos carregados e de fácil acesso.

CURIOSIDADE: Uma vez fui pra balada com a bolsa de equipamento! Vocês sabem quanto custa uma câmera e lentes??? Muuuito caro pra deixar no porta-malas do meu carro... Era tipo um carro, dentro de outro carro!!!

A previsão era de 3 partos em 7 dias.. até aí tudo bem.. mas no final foi 4 em 2... 3 em um dia, e 1 no outro.

Com toda a crise de saúde mundial, devido ao Covid-19, os hospitais e maternidades começaram a limitar a quantidade de pessoas tanto na sala de parto, quanto centro cirúrgico. E adivinhem.. ela estava em trabalho de parto, quando fui avisada novamente. 

Corri para o hospital, estavam a mãe e o pai de mascaras.. e eu.. mais uma vez sentia as dores junto com aquela mãe.

Todos os planos de ter fotos lindas, de um momento lindo.. não podiam ser adiados. Dei o meu melhor.

Sabe, eu me coloco muito no lugar daquela família. Mesmo não sendo (mais) um casal.

Escrevo isso com um nozinho na garganta de vontade de chorar..

Como disse antes, eu sabia o medo.. sabia alguns planos.. e a insegurança daquela mãe.

Muitos homens , principalmente os de primeira viagem, não sabem ser pai. Mas claro! Eles nunca foram pai para saber!!!

E aquele também não sabia. 

Fiz as fotos no quarto.. e definitivamente ELE NÃO SABIA! 

Eu via uma mulher, sem poder fazer nada, grogue da anestesia, preocupada com sua filha, que mal tinha visto o seu rostinho.. e um pai que não segurava a cabecinha dela.. rsrs.. eu ri, mas foi de nervoso. OBVIO que eu não poderia interferir ali. E nessas horas eu peço a Deus para fazer a coisa certa. E cuidar como eu quisesse que fizessem comigo, ali naquela maca.

Com todo cuidado e amor, ensinei e ajudei aquele pai segurar sua neném... lavei as mãos e auxiliei a pequena mamar. Fiz aquele pai segurar sua cabecinha, para não forçar o braço da mãe... (Ele deve ter ficado com o braço doído).

No meio de tudo isso, eu sentia aquele olhar... Ela estava frustrada.. Estava cansada.. e estava com medo.

Combinei com minhas cúmplices: enfermeiras e téc. de enfermagem de chamar aquele pai inventando alguma coisa.. pra ele sair do quarto... Ele literalmente não desgrudou daquela coisinha linda! Nada do que eu tenha falado ou pedido fez com que ele deixasse a neném dormir... kkkkkkkkk... 

Bebês cansam ao nascer!!! As vezes, é melhor deixar eles quietinho na caminha.

Enfim, ele saiu. 

Eu já havia conversado bastante com ele na sala que antecede o centro-cirúrgico. Sobre a importância dele naquele momento. Sobre a participação do pai na criação de uma menina. Na referencia masculina que agora ele se tornara. Entre muitas outras coisas... ele que estava ansioso e nervoso, acho que ele teve medo. E talvez envergonhado, por tudo que aconteceu ate ali, que mal sabia, mas era o dia mais importante da vida dele. 

Fiz o vídeo de depoimento dele. E digo, não, não estava no contrato. Eu sabia que aquilo poderia atrasar a entrega de algum material, mas eu o fiz, e deixei quieto, não comentei com ninguém. E tenho quase certeza que ele nem lembra disso, devido a euforia do momento, porque ele queria mesmo era voltar pro quarto.

Naquele dia, logo em seguida, outra cliente/mãe chegou em trabalho de parto no mesmo hospital (por sorte)... Quando ela me ligou, eu já estava la.. Acredite, isso acontece muito! (Qualquer dia eu conto essa história pra vocês..)..

Fui pra casa feliz.. porque dos 3 partos previstos, eu estava mais preocupada com esse.

Fiz o que senti Deus falando pra eu fazer naquele momento. Talvez ela lembre, talvez não.. mas isso nem importa... meu coração estava tão cheio de gratidão que eu jamais faria por reconhecimento.. fiz por amor.

No dia seguinte, mandei as prévias.. com a certeza e vontade de fazer mais fotos, afinal não tinha fotografado aquele parto.

Os dias foram passando, outros partos impedidos de fazer o registro.. e cada dia eu me frustrava.. por ter que dar a opção para as mães de escolha: ou a fotógrafa ou o pai. Nossa, isso me corta o coração, até hoje.

Mais dias foram passando.. e ela me disse que as histórias que eu vivia, merecia um livro. Talvez por eu ter me envolvido na história dela, e de alguma forma, tentado ajudar... 

Algumas coisas mudaram.. outras infelizmente não.

A pandemia piorou aqui no meu estado (Rondônia), e eu não soube lhe dar com tudo isso. Eu me isolei. Me afastei. Pirei. Surtei. Chorei muito. Fiquei depressiva. Ansiosa. Não quis saber de fotos de nascimento com tanta gente morrendo. Não consegui. Me desculpem. No fundo eu sabia que aquelas mães queriam as fotos.. mas eu só queria chorar. 

Ver o que te dá vida, literalmente, e sequer poder chegar perto.. não poder abraçar meus bebês, minhas mães, visita-los... NADA!!!!!

Tem poucos dias.. mas resolvi tirar força das pessoas que perdemos para reviver. Não digo números, digo nomes!

E antes de ontem, terminei essas fotos... e senti tudo de novo junto com ela.. junto com ele.. e a bebê.

Hoje, editei o vídeo.. e vou manda-los.. junto com o link desse post.

Só pra VOCÊ saber o quanto você é especial na minha vida!
Que quando você me manda uma fotinha de Bom dia, eu revivo tudo!

Eu vejo tudo que vivi para ter o reconhecimento da profissão que me escolheu.

Eu vejo e lembro de Deus falando comigo através dos teus olhos, naquele quarto de hospital.

Eu vejo a perfeição de Deus, nas coisas que a gente vive, e mal sabe o que está fazendo.

Eu vejo que TUDO acontece no tempo de Deus.. e não no nosso.

E que pode passar o tempo que for... mas Deus se encarrega de arrumar tudo, no seu devido lugar.

A gente não entende.. mas Ele sabe.

Quero vocês, especialmente, bem perto pra sempre!

Porque tem coisas que a gente não entende.. a gente só sente!


Foto enviada ao grupo da família, para dizer que eu já estava com os pais aguardando o parto.